Capitão Phake faz série de shows no mês do pirata

11111111111111111111111111bannerJK1

Salve, salve, marujos e sereias! No mês de setembro, especificamente no dia 19, comemora-se o Dia Internacional de Falar Como Um Pirata! E para comemorar a data, o pirata mais conhecido de Brasília vai tirar sua Kombi da garagem e convidar seus parceiros para dois shows que prometem agitar o mês.

Estamos falando do Capitão Phake, um pirata tipicamente brasiliense e urbano que navega pelas tesourinhas e ruas da capital federal (a denominada por ele como Ilha do Absurdo). Sempre com sua bandana e seu maior companheiro, o papagaio-pombo Djalmex. Dentro da Phakemóvel, a Kombi estilizada, ambos tiram um som de primeira. O responsável por Phake é o músico, ator, compositor e produtor Phill, de 30 anos, que ainda na adolescência criou e encarnou neste personagem. 

9999999999999999FAKE

 Após lançar um projeto inovador multimídia que mescla clipe, músicas e capítulos de uma história – O Capitão Phake & Os Piratas de Jardim – o artista vai inaugurar sua websérie musical, desta vez, em um evento de graça nesta sexta, sábado e domingo, das 17h às 23h, na Praça do Cruzeiro (Eixo Monumental).

O projeto, para quem não conhece, teve seu primeiro capítulo Nó de Marinheiro lançado na internet (YouTube) em julho deste ano e já arrebatou mais de 80 mil visualizações.

Quem assistir, vai começar a entender a história do pirata e suas aventuras na Ilha do Absurdo, com direito a um romance com sua sereia. A cada três meses, Phill vai disponibilizar um episódio para os fãs acompanharem a história.

Agora é ao vivo que o capitão vai tocar para a galera as 12 músicas que deram origem a websérie e, ainda, surpresas para os marujos que comparecerem ao evento. Nó de Marinheiro, RIPIO, Ela Tem, Ilha do Absurdo, Djalmex, Pare!, Sincero, Adeus, Dias Cinzas, dentre outras, compõem este repertório definido por Capitão Phake como um “Pop Loko”, uma mistura de pop music, rock, reggae e MPB. Indo de Raul Seixas até Katy Perry, com canções animadas e dançantes, mas também lentas e com letras românticas para acalentar os corações dos enamorados.

Além de muita música, o evento Capitão Phake Apresenta: Burguer, Cerva & Os Piratas de Jardim contará com bebidas e boa gastronomia. Mais de 10  food trucks como o Geléia, El Negro, Steak Shack, Burger House, Angus Parrilla DF, Um Sr. Churros e muita cerveja artesanal vão saciar os marujos.

Capitão Phake Apresenta: Burguer, Cerva & Os Piratas de Jardim

De 22 a 24 de setembro (sexta a domingo), das 17h às 23h

Na Praça do Cruzeiro (Eixo Monumental)

Entrada franca

Classificação livre

Capitão Phake em Os Sons da Seca – com Apráticos, Lupa e Sérgio Dall’Orto

Dia 29 de setembro (sexta-feira), às 21h, no Teatro dos Bancários (314/315 Sul)

Ingressos: R$ 25 (meia-entrada). Pagam meia aqueles que doarem 1kg de alimento não-perecível. Ingressos antecipados em:https://goo.gl/tDgogy.

Classificação livre.

Informações: 3262-9090      

CONHEÇA MAIS 

Sons do pirata

A programação de setembro do Capitão Phake será intensa. Após se apresentar na Praça do Cruzeiro, ele irá se juntar às bandas brasilienses Apráticos e Lupa e ao músico Sérgio Dall’Orto para se apresentar no Festival Sons da Seca, no dia 29 de setembro (sexta-feira), às 21h, no Teatro dos Bancários (314/315 Sul).

Nesta proposta, que faz uma alusão ao clima típico do período, Phake sairá de sua Kombi para dar continuidade à apresentação do seu repertório. Os grupos e Dall’Orto se revezam com ele e garantem muita MPB, pop e rock’n’roll, nesta noite que também homenageará o mês dos piratas. Os ingressos custam R$ 25 (meia-entrada). Doadores de 1 kg de alimento não-perecível pagam meia. Ingressos à venda na bilheteria do teatro e no site: https://goo.gl/tDgogy. Classificação livre. 

Conheça o pirata brasiliense

Brasília pode não ter mar, mas tem um pirata navegando em suas quadras e tesourinhas, com direito a bandana, espada e um fiel papagaio-pombo no ombro. O músico, ator, compositor e produtor brasiliense PHILL, 30 anos, criou ainda na adolescência um personagem bem louco: Capitão Phake, um pirata urbano que vive nas ruas da capital federal,  nomeada por ele como  Ilha do Absurdo. A imaginação do artista deu origem ao projeto multimídia Capitão Phake & Os Piratas de Jardim.

O projeto é formado por um disco conceitual com 12 faixas, cada uma com seu respectivo videoclipe, audiobook e histórias em quadrinhos. Os clipes, que são também episódios de uma websérie musical, interligam todo o disco, misturando música e cinema para contar a história do Capitão Phake numa trama que envolve amor, morte, loucura e possui uma crítica política  ao sistema, questionando alguns paradigmas de comportamento social.

Com diferentes estilos musicais, as 12 músicas dialogam entre si e conduzem a história que promete deixar os fãs sempre curiosos para assistir aos próximos episódios, que possuem, em média, 10 minutos de duração e serão lançados com um intervalo de um a três meses.

Este ano, Phill incorporou de uma vez por todas o personagem do Capitão Phake e deu início à sua jornada: Nó de Marinheiro, o primeiro episódio da websérie musical foi  lançado em julho  e revelou na internet a criatividade desta história que tem  como pano de fundo  cenários como o Lago Paranoá, a Kombi onde vive o pirata e os prédios e monumentos do Plano Piloto.

O episódio Nó de Marinheiro conta com a participação especial do músico e parceiro Sérgio Dall’orto. A produção da websérie é assinada pela produtora Merun, do amigo e também parceiro Rafael Morbeck, junto à produtora do próprio artista, a PHILL PHILMS.

Personagens como  o chefe Alarico (Dom Marcelo), a sereia Julia (Luísa Mori) e o papagaio-pombo Djalmex, um animal “sensivelmente estúpido”, que é uma bolinha de pelo, amor e ódio, fruto do cruzamento de um rato com uma pomba, apimentam este enredo de um pirata dentro da Ilha do Absurdo.

O álbum Nó de Marinheiro está previsto para ser lançado ainda neste semestre. Letras reflexivas e bem-humoradas compõem o CD e os shows de POP LOKO super produzidos, com direito a trabalho de cenário, figurinos, dançarinos, muitas luzes e projeção mapeada. O mundo do Capitão Phake transparece em cada detalhe de suas apresentações. “Eu encarno meu alter ego pirata e fico assim por dias, então passo as noites sob a influência desse lado da minha personalidade, escrevendo as músicas e as histórias.. Gosto desta coisa lúdica, de trabalhar com magia e de trazer isto para o público”, ressalta PHILL.  E é isto que ele vai mostrar nos eventos da Praça do Cruzeiro e do Teatro dos Bancários.

Phakemóvel – A Kombi do Capitão

A Kombi do artista, customizada pelos artistas de graffiti Toys e Omik, é usada no dia a dia, nos episódios da série e foi recentemente transformada em um palco móvel para shows com formato reduzido, onde PHILL se apresenta sem banda, cantando em cima de bases prontas, no que ele chama de “Showzãozinho”, com direito a fogos de artifício, fumaça, show de luzes, projeção e a presença do seu parceiro papagaio-pombo Djalmex.

Além disso, PHILL ainda promete passar alguns dias realmente morando na Kombi para internalizar cada vez mais a essência do personagem, que na história vive dentro da Kombi com o mendigo Zito. Afinal, quando o Capitão Phake entra em ação, o PHILL deve “desaparecer”.

Carreira

Há mais de 10 anos envolvido com arte, PHILL começou como baixista de algumas bandas de Brasília, se mudou para o Rio de Janeiro, onde estudou Produção Fonográfica, continuou mais um tempo como baixista e produtor e então, a partir de 2013, resolveu se especializar em canto e produzir seu próprio trabalho como artista solo. A partir desse momento, sua carreira artística decolou pelo diferencial: ele mescla performance teatral, tecnologia, humor e muita loucura nos seus shows. O primeiro single do cantor, ainda como PHILL, foi F.R.A.N.G.O BCCA.

Lançado nas rádios em 2014, a música fala sobre o universo fitness de uma forma irreverente e com certo tom de crítica. De lá para cá, PHILL amadureceu como compositor (foram mais de 80 músicas escritas nesses 3 anos), fez cursos de teatro, canto e, conforme sua carreira como artista foi crescendo, teve a oportunidade de desenvolver esse inovador trabalho onde lançou mão de toda sua criatividade e assumiu o alter ego do Capitão Phake, fazendo com que todos embarcassem com ele nessa louca jornada rumo à Ilha do Absurdo!

CSS

Add your Biographical Info and they will appear here.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *