Relatos de intolerância e homofobia na caserna brasileira

 

77777777777777777777777777

“Há poucos dias postei uma foto com meu companheiro para comemorar 6 anos de relacionamento, foto tirada durante nossas férias numa praia do Rio de Janeiro. Postei em meu perfil privado do instagram, pois estava num momento de muita felicidade e realização e achei por bem externar essa felicidade.

Só que em rede social nada é privado, em poucos momentos depois um dos então “amigos” do Exército Brasileiro que estava em minha rede logo deu um print da postagem privada e divulgou em um grupo de mensagens e daí em diante viralizou a imagem por outros grupos, formados na maioria por militares, particularmente Oficiais do Exército Brasileiro.

Até então eu não estava dando importância, pois aos companheiros de farda que não sabem e que também não lhe diz respeito, sou casado com outro homem desde 2018 e declarei isso no atual quartel onde sirvo no mesmo dia que assinei o documento no cartório. Na época o assunto foi tratado naturalmente sem alarde, sem espanto e sem absurdos. Segui minha vida de casado normalmente, como sempre vivi e vivo, sem nada a esconder. Desculpe se te poupei da “novidade”.

8888888888888888888888888888888

Alerta, grande euforia foi causada por militares que jamais imaginavam que um Oficial de Carreira do Exército pudesse assumir sua homossexualidade, ser feliz e realizado no trabalho. Isso foi um soco no estômago dos porcos homofóbicos que nos rodeiam e nos sondam muitas vezes anonimamente, inconformados com a felicidade alheia.

Gay? Bicha? Vamos espalhar ao máximo essa foto para fazer com que ele morra de vergonha, ou vamos lacrar no grupo do WhatsApp da turma colocando essa foto bombástica de um Major do Exército sendo abraçado por seu marido.

5555555555555555555555555555555555555

Que choque não é? Uma pena meu querido e infeliz colega de trabalho, você chegou atrasado, sua novidade é tão velha e antiga quanto sua evolução como ser humano, como pessoa… mas calma ainda dá tempo de você melhorar! Até os últimos momentos de vida podemos nos redimir, vai ser apenas lamentável você esperar até o leito da morte para perceber o quanto da sua vida você perdeu preso a conceitos e preconceitos que em nada vão acrescentar em sua existência. Reflita, ainda há tempo.

Aos Danieis, Ronaldos, Eduardos e outros nomes que seguem na lista dos que estão divulgando minha fotografia, meu muito obrigado, obrigado por mostrarem as outras pessoas o seu desejo reprimido, sua inveja magoada por minha felicidade e toda a sua pobreza de espírito.

Infelizmente ser livre e ser feliz tem seu preço e talvez a coragem e a honestidade que me é exigida por essa liberdade jamais será conseguida por suas almas miseráveis, sinceramente, eu desejo que vocês consigam, se não for nesta que seja na próxima encarnação. É preciso ser muito homem para isso. Talvez você nunca saberá.

Vamos aos grupos, a diversão é válida, o humor, o entretenimento, o crescimento o supérfluo… mas querer disseminar o ódio meu amigo? É sério? Com tanta violência e tragédias que já temos que enfrentar ainda temos que administrar nosso convívio com esses espíritos menores que adoram se alimentar do que há de ruim no mundo. Que sentem prazer quando outra pessoa é posta em situação de humilhação e constrangimento. Se isso é que te dá felicidade eu tenho pena da sua alma.

No meu dia a dia convivo harmoniosamente com meus colegas de trabalho, o meio militar tem seus preceitos, suas normas e regulamentos, e o Exército Brasileiro tem evoluído junto com a sociedade. Isso é bom, só que muitos militares ficam inconformados com a evolução, com a mudança de pensamento e com o medo de despertar para seus desejos proibidos que até então sempre estiveram inertes e acorrentados em suas mentes reprimidas, exalando homofobia e preconceito.

Nesse caso você tem a minha pena. As portas da liberdade foram abertas e é lógico que os primeiros que ousarem atravessar essa trincheira sentirão as sequelas das línguas afiadas, dos olhos que fuzilam o diferente, do medo de não poder mais ser igual. Estou pagando o preço de ser livre, estou cumprindo meu papel, não escondo e muito menos me arrependo, é meu o caminho que percorro, colho os louros e as derrotas que são minhas e mais de ninguém e a minha felicidade jamais será submetida à nenhuma aprovação.

Tenha coragem para ser feliz, pois sua covardia é tamanha que ao dar print da tela escondeu até seu nome de usuário. Coisa de macho! Nem parece que passamos pela mesma honrosa Academia Militar das Agulhas Negras onde esconder-se no anonimato era um dos atos mais vergonhosos.

E a você meu caro disseminador de ódio, nunca se esqueça que aqui se planta e aqui se colhe, continue a espalhar a desunião entre as pessoas, continue e semear a raiva e a violência que mais cedo ou mais tarde você terá seu pagamento. Chega a ser cômico e lamentável que um Oficial do Exército perde seu tempo precioso para espalhar que fulano e que ciclano são gays.

Um homem adulto, com esposa, filhos, preocupado com outro homem? Que coisa mais estranha não é? Vai se preocupar com o que seu filho está aprendendo na escola, com a felicidade da sua esposa, com a realização da sua família, não perde seu tempo precioso comigo, não vale e pena, já sou casado e feliz, tenho uma linda família que amo e sou muito amado!

Amo meu Exército Brasileiro, sou realizado e agradecido pela carreira que abracei. O Exército é um lugar de pessoas honradas, acho que você deveria repensar se está no lugar certo. Como disse anteriormente, as Forças Armadas estão cada vez mais evoluídas perante a sociedade, esse seu pensamento retrógrado só vai te trazer frustração e amargura, liberte-se, permita-se ser feliz.

Use sua alma de moleque nos momentos de diversão, em descontração com amigos onde a gente sente falta de ser moleque, não use em atitudes que causam vergonha e olhares de lástima, pois quando se é moleque não temos ainda a noção do que é ser homem.” Esses são relatos do Oficial do EB, na sua rede social.

Segundo o Oficial do Exército Brasileiro, Emerson Cordeiro, a foto ilustrativa foi copiada da sua rede social por preconceituosos e passou a circular em grupos de whatsapp.

CSS

Add your Biographical Info and they will appear here.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *