Segunda UPA de Ceilândia é puro abandono e nem sinal de retomada das obras

Banner

Quem visita a QNR 3, em Ceilândia, Distrito Federal,  se depara com os esqueletos de uma obra inacabada de uma Unidade de Pronto Atendimento.  As obras estavam paradas, desde o ano passado, devido a uma determinação do Tribunal de Contas do Distrito Federal quando restava apenas a instalação da cobertura e das divisórias.

Ontem(09), o Deputado Distrital Chico Vigilante, ao fazer uma inspeção de rotina naquela região de Ceilândia norte, denunciou que  todo o material para a construção desapareceu, restaram apenas o piso, ferros  e o mato por toda a área da UPA.

222222222222222222222UPA

Segundo moradores da região foi visto um cidadão levando o material e  desmontando as estruturas entregues. Afirmaram, também, que a Polícia foi acionada para abordar quem estava desmontando as estruturas da obra.

3333333333333333333333Upa

Chico Vigilante, informou que foi investigar a sua situação junto ao Secretário de Saúde que informou que foi a empresa construtora que recolheu o material para guardá-lo enquanto o tribunal de contas decide sobre o prosseguimento da obra. Vigilante afirma, ainda, que o Governo do Distrito Federal recebeu R$ 2,3 milhões de investimentos oriundos do Ministério da Saúde para a construção de mais uma UPA em Ceilândia para atender um número estimado de 450 pessoas diariamente.

A UPA abandonada se colocada em funcionamento tem por objetivo de diminuir a sobrecarga existente no Hospital Regional da Ceilândia, além de atender a uma população oriunda do Sol Nascente, QNQ, QNR, Expansão do Setor O, Setor de Indústrias da cidade e até mesmo do município goiano de Águas Lindas.

O Distrital, diz, eu espero que Tribunal de Contas do Distrito Federal julgue o mais rapidamente possível este caso para que a Secretaria de Saúde retome a construção desta UPA, uma obra tão importante e fundamental para a população.

 

Fotos: Site Chico Vigilante e Metropole

 

CSS

Add your Biographical Info and they will appear here.

1 Comment

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *