Festival de Brasília do Cinema Brasileiro é lançado oficialmente

11111111111111111111111111bannerJK1

O 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro foi lançado oficialmente na tarde desta quarta-feira (7) no Cine Brasília (106/7 Sul). A principal novidade desta edição é a distribuição de cachês para os filmes exibidos.

Compuseram a mesa as coordenadoras do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, Sara Rocha, sobrinha do cineasta Glabuer Rocha, e Mariana Soares; o secretário de Cultura, Guilherme Reis; e o presidente do Instituto Alvorada Brasil, Francisco Almeida.
Compuseram a mesa do lançamento do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro as representantes da Secretaria de Cultura, Sara Rocha e Mariana Soares; o secretário Guilherme Reis; e o presidente do Instituto Alvorada Brasil, Francisco Almeida. Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

Pela primeira vez, o evento, em vez de premiar os vencedores, vai conceder R$ 340 mil em cachês para os nove longas e os 12 curtas-metragens da mostra competitiva e os longas das exibições paralelas.

O dinheiro é da Secretaria de Cultura e será assim distribuído:

  • longas-metragens: R$ 15 mil
  • sessão especial: R$ 10 mil
  • curtas-metragens: R$ 5 mil
  • mostras paralelas: os longas receberão R$ 3 mil cada um

A premiação com Troféu Candango continuará sendo entregue nas categorias melhor filme, direção, ator, atriz, ator coadjuvante, atriz coadjuvante, roteiro, fotografia, direção de arte, trilha sonora, som e montagem.

“Nenhum filme virá a Brasília e sairá daqui sem nenhum recurso para levar para casa”Guilherme Reis, secretário de Cultura

No lançamento, o secretário de Cultura, Guilherme Reis, destacou as duas mudanças que considera fundamentais: o novo modelo de gestão e produção, com participação social e transparência, e uma política que contempla todos os filmes selecionados com cachê pelo fato de estarem no festival. “Nenhum filme virá a Brasília e sairá daqui sem nenhum recurso para levar para casa”, pontuou.

O cineasta João Paulo Procópio se mostrou favorável a essa inovação. “Quando você coloca dinheiro na competição cria uma disputa que não é saudável”, defendeu. Para ele, é um conforto o festival assegurar que todos os integrantes da programação sejam remunerados. “Porque geralmente os produtores estão com conta para pagar do próprio filme”, justificou.

Programação do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro terá dez dias

Serão dez dias de programação — de 15 a 24 de setembro —, diferentemente de formatos anteriores com uma semana.

Neste ano, o festival será organizado em parceria com o Instituto Alvorada Brasil, organização da sociedade civil selecionada por meio do Edital de Chamamento Público n° 2/2017.

Para o presidente da entidade, Francisco Almeida, essa colaboração vai diminuir o gasto do Estado com o evento, pois o instituto fará captação de recursos. Segundo ele, o objetivo é fazer com que a iniciativa privada possa participar por meio de leis de incentivo.

FESTIVAL DE CINEMA DE BRASÍLIA TERÁ NOVO FORMATO EM 2017

O instituto promoverá mostras paralelas, como a Futuro Brasil, que servirão de vitrine para cineastas com filmes em finalização que desejam apresentá-los a especialistas de mercados de grandes festivais internacionais.

Já a exibição 50 anos em 5 (dias) será dedicada a fazer uma retrospectiva de produções significativas que passaram pela tela do Cine Brasília ao longo da história do festival.

Os inscritos também poderão participar de rodadas de negócios, debates e encontros internacionais com agentes e distribuidores de filmes.

Sessões gratuitas em outras cidades

A mostra competitiva será descentralizada, com sessões em Taguatinga, em Sobradinho, no Gama e no Riacho Fundo I. Nesta última região administrativa, o festival conta com a parceria do Instituto Federal de Brasília (IFB).

Moradores da Estrutural, do Paranoá, do Recanto das Emas e de São Sebastião também poderão assistir a filmes graças ao projeto Cinema Voador, que levará o evento para essas cidades.

Inscrições vão até 7 de julho

As inscrições para a mostra competitiva nacional podem ser feitas até 7 de julho, no site do festival. Para concorrer, o filme deve ser inédito no Distrito Federal e, de preferência, em outras unidades da Federação também; ter sido concluído a partir de 1º de agosto de 2016; e não haver participado de seletivas em edições anteriores.

Para a Futuro Brasil, os interessados podem se inscrever de 10 de junho a 10 de julho; e para a Mostra Brasília, de 9 de junho a 10 de julho.

Aplicativo para votação do júri popular

O festival traz ainda a novidade de um aplicativo oficial. A plataforma digital poderá ser baixada gratuitamente a partir de 15 de setembro em dispositivos móveis com sistemas operacionais Android e iOS.

A ferramenta terá a programação completa dos filmes e permitirá que o público escolha o melhor longa-metragem para o Prêmio Petrobras de Cinema — que receberá R$ 200 mil em contrato de distribuição — e o melhor curta.

EDIÇÃO: MARINA MERCANTE E RAQUEL FLORES

CSS

Add your Biographical Info and they will appear here.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *